Conheça o bairro da Aclimação

20 de setembro de 2015

Que tal viver em um verdadeiro oásis de tranquilidade na região central de São Paulo, cercado de construções que vão do antigo art-déco até o moderníssimo high-tech, próximo à Avenida Paulista e a estações de metrô das linhas azul e verde, com excelente infraestrutura de comércio e serviços? De brinde, você ainda ganha a oportunidade de frequentar um belíssimo parque para chamar de seu a apenas 350 metros de casa. Sim, esse lugar existe e leva o nome de Aclimação.

Foi em 1892 que o médico Carlos José de Arruda Botelho, proprietário do Sítio Tapanhoim, instalou em suas terras um agradável jardim, o primeiro zoológico local, a primeira sede da Sociedade Hípica Paulista e o primeiro posto zootécnico do Brasil. Recém-chegado de Paris, ele batizou a nova área em referência ao Jardin d’Acclimation do Bois de Bolougne, implantando em São Paulo o mesmo modelo de criação, reprodução e aclimatação de animais da capital francesa.

No início, o Jardim da Aclimação abrigava apenas vacas leiteiras trazidas da Holanda. Mas logo tornou-se um cobiçado ponto de visitação da cidade devido à presença de espécies diversas como leões, tamanduás, jacarés e ursos.  Somente em 1916 é que surgiram as primeiras ruas nos arredores do zoológico. Os nomes eram inspirados em planetas do sistema solar como Saturno e Urano e em pedras preciosas como Ametista e Topázio.

A influência de Botelho foi tanta que ele tornou-se secretário da agricultura da província, senador e criador da Agência Nacional de Colonização, tendo sido responsável pelo início da imigração japonesa no Brasil. Não à toa, muitas famílias japonesas estiveram entre as primeiras habitantes da cercania, que hoje ganhou a preferência de novas colônias como a da Coréia do Sul. Em 1939, os herdeiros de Botelho venderam a área para a prefeitura durante a gestão Prestes Maia, que transformou o local no Parque da Aclimação.