Barulho no condomínio? Saiba o que fazer.

17 de janeiro de 2017

As crianças não param; pulam, gritam, choram. Os cães latem demais ou uivam. Os adultos não ajudam – e às vezes só atrapalham, seja falando (ou brigando) em voz alta, fazendo festas em casa ou nas áreas comuns, ouvindo música inapropriadamente, batendo o salto no andar de cima, arrastando móveis, furando ou pregando paredes, fazendo obras intermináveis. Irritante, não?

A vida de quem mora em condomínios pode se transformar num inferno com vizinhos que não respeitam as regras e o barulho é um campeão de reclamações – 40% delas segundo o SECOVI-SP.  Não sabe como proceder para acabar com essa dor de cabeça? A gente te ajuda a sobreviver sem tampões nos ouvidos e sem se estressar demais!

 

O que diz a lei?
Há diferentes leis municipais ou estaduais a respeito. Você pode consultar a legislação do seu município, sobretudo quando o barulho vier de bares e casas noturnas ao redor. Muitos estabelecimentos chegam a ser processados coletivamente pelos condomínios ou pelas associações de bairro. Analise bem o seu caso e tome as atitudes cabíveis!

 

E as regras do condomínio?
Consulte o estatuto do seu condomínio. A maioria estipula o horário das 22 horas como o limite do barulho tanto em áreas comuns quanto privativas. Caso os decibés continuem altos após esse horário, interfone para o porteiro. Às vezes essa chamada de atenção é suficiente, mas em muitos casos, os infratores poderão receber uma advertência ou uma bela multa no fim do mês caso não obedeçam. As assembleias também servem para discutir esses problemas. Os reincidentes mais problemáticos podem até sofrer ações judiciais coletivas.

 

Quais são os limites?
Em geral, o consenso é de 55 decibés para o dia, das 7 às 20 horas, e 50 para a noite, das 20 às 7. Um toc-toc-toc de salto alto quando a vizinha chega tarde da noite pode ultrapassar facilmente essa marca, sobretudo quando ela resolve bater perna bem em cima do seu quarto.

 

Use o bom senso
Um secador de cabelos chega a altíssimos 85 decibéis, mas pode não ser tão grave se forem apenas 10 ou 15 minutos de uso ou muito esporadicamente. Avalie a frequência e a duração do barulho antes de tomar atitudes mais drásticas. Aspirador de pó ou máquina de lavar roupa batendo de madrugada são mesmo situações desnecessárias, que merecem ser comunicadas à administração do prédio, sobretudo quando frequentes.

 

Evite o confronto direto
Briga de vizinhos é algo muito desagradável e pode gerar um ciclo interminável de ataques, agressões e ofensas pessoais. Busque as soluções intermediadas pelo condomínio via porteiro, síndico e administração para resolver esses problemas de acordo com a gravidade, frequência e duração do barulho. Em último caso, acione a polícia ou a justiça do seu município.