Wallpaper

Tendências do mercado imobiliário para 2022

O mercado imobiliário está em constante mudança e se você quer vender ou comprar imóveis com segurança é preciso se atentar às tendências. No Brasil, o segmento tem crescido bastante nos últimos anos e, apesar da pandemia de COVID-19, os resultados foram positivos. Para este ano, o mercado tende a continuar crescendo, mesmo com a proximidade das eleições e com a inflação, que geram incerteza entre os investidores.

1. Boom de investidores no Mercado Imobiliário 2022

Com a alta da projeção da inflação, que avançou de 6,45% para 6,59%, segundo o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), e as eleições presidenciais deste ano, os investidores voltaram seus olhos para o mercado imobiliário, pois segundo especialistas é um momento bom para investir para quem estiver capitalizando oportunidades. 

De acordo com dados do mercado imobiliário, o volume de imóveis prontos é baixo e especialistas acreditam que os financiamentos para quem quer construir ou comprar um imóvel serão facilitados. Além disso, as taxas de créditos estão baixas, comparadas a anos anteriores, o que aumenta ainda mais a valorização do imóvel.

2. Alterações no perfil consumidor do mercado imobiliário

Com o passar dos anos, o perfil do consumidor mudou em todos os setores da economia e, com a pandemia, essas mudanças se intensificaram ainda mais, o que obrigou empresas, de todos as áreas, a se adaptarem e pensarem em estratégias para continuar se comunicando com seu público final. 

Antigamente, o processo de compra de um imóvel acontecia da seguinte forma: o cliente se dirigia até a imobiliária para agendar uma visita, e só após fazer várias visitações conversava com o corretor de imóveis para analisar as propostas e fazer uma oferta. 

Ou seja, o comportamento dele se baseava a partir de estratégias de marketing tradicionais da empresa como panfletos, rádio ou televisão, como também indicações de amigos e o próprio discurso do vendedor. 

Entretanto, isso mudou drasticamente conforme as pessoas começaram a ter mais acesso à internet. Hoje as avaliações presenciais, indicações e bate papo com o corretor de imóveis continuam sendo importantes nas vendas? Sim! Mas não é apenas isso que vai fazer o cliente fechar a compra. 

De acordo com um levantamento feito pelo portal imobiliário Imovelweb, o perfil do consumidor apresentou mudanças significativas em 2020. 

Para ter ideia, em setembro de 2019, 47% das pessoas optaram por alugar um imóvel enquanto 53% preferiram a compra. Já em setembro de 2020, 63% das pessoas se mostraram mais interessadas em comprar do que necessariamente alugar (37%).

Os fatores que mais contribuíram para essa mudança — além do acesso à internet —, estão associados à queda da taxa Selic, que proporcionou juros mais baixos para empréstimos e investimentos. E o crédito imobiliário, que subiu 22,6% com recurso da poupança.

Como a expectativa é que a taxa de juros básica encerre 2022 em 13%, e como ainda não há previsão de quando a pandemia vai acabar, tudo indica que o novo consumidor imobiliário se mantenha motivado em pesquisar, comprar imóveis e seguir as tendências do mercado.

3. Mas, afinal, por que devemos nos preocupar com as tendências?

Segundo o dicionário, tendência é uma disposição natural que leva algo ou alguém a agir de determinada maneira, ou seguir certo caminho. Pensando no mercado, podemos dizer que uma tendência é uma mudança de comportamento que será seguida e replicada em massa, podendo durar alguns dias, meses, ou até ser uma coisa definitiva. 

Falando, especificamente, de mercado imobiliário, as empresas que seguem as tendências costumam cair no gosto dos consumidores, pois vão estar de acordo com o que é atual, o que é conhecido e utilizado. O perfil do consumidor mudou e as tendências imobiliárias mudam todos os anos e, atualmente, o que as pessoas buscam em um imóvel?

4. O que as pessoas buscam nos imóveis?

Encontrar um imóvel ideal é uma tarefa um tanto quanto complexa, mas com força de vontade e tempo, é possível encontrar um local perfeito para morar. O primeiro passo é encontrar tudo que você busca em um só lugar. Atualmente, o que as pessoas mais buscam nos imóveis são:

 

Tecnologia

 

 

Atualmente, as pessoas estão em busca de imóveis tecnológicos, ou seja, casas e/ou apartamentos automatizados em níveis diferentes. Entendendo que os eletrodomésticos das residências ganham cada vez mais funcionalidades, como, por exemplo, as Smart TVs permitem que os moradores executem comandos de voz, há lâmpadas que são conectadas no Wi-Fi e podem ser desligadas pelo celular, entre outras funcionalidades.

Ter uma casa conectada e inteligente faz com que os moradores gastem menos tempo com coisas simples e possam aproveitar mais o ambiente, o espaço e também as companhias. 

 

Ventilação

 

 

Outra tendência que as pessoas buscam nos imóveis é a ventilação natural dos ambientes. A importância desse aspecto aumentou muito durante a pandemia e passou a ser essencial. Ter uma boa ventilação inclui janelas e varandas, que já eram bem valorizadas pela pré -pandemia. 

Além disso, imóveis projetados com um bom aproveitamento de luz solar e da circulação dos ventos proporcionam, aos moradores,  saúde e economia no consumo de energia. Por isso, a ventilação e a iluminação natural são elementos importantes e que devem ser privilegiados na concepção de um projeto arquitetônico.

Outro ponto importante é que uma boa ventilação proporciona conforto térmico e contribui para a qualidade do ar no ambiente.

 

Personalização

 

 

Retirar paredes, colocar churrasqueira, fechadura eletrônica, sistema de automação. Ter a liberdade de escolher o que é melhor para a família na futura casa é muito mais que comodidade, é exclusividade e a personalização está presente na busca das pessoas. Morar em um imóvel que sempre quis, sendo possível escolher cada detalhe é a verdadeira realização de um sonho. Por isso, o mercado imobiliário tem apostado tanto na personalização de casas e apartamentos.  

 

Multifuncionalidade

 

 

Também por conta da pandemia de COVID-19, as pessoas estão buscando imóveis que sejam multifuncionais, ou seja, o quarto de hóspedes pode servir como home office, a varanda pode ser a mesa de jantar ou uma junção de todas as funções em um único espaço, como é o caso dos studios. 

Um ambiente multifuncional confere muitas opções para o design e a decoração de ambientes. Reunindo praticidade, conforto e beleza, essas áreas ganham a cada dia mais espaço nos imóveis.

 

Sustentabilidade

 

 

A sustentabilidade é uma grande tendência do mercado imobiliário que está em alta nos últimos anos e começou a se tornar, cada vez mais, essencial para os moradores.

Outra grande tendência e, também, busca de futuros moradores é a sustentabilidade que envolve o imóvel. 

Dentre as novidades, o paisagismo é uma das que mais chamam a atenção. Pela estética dos edifícios e condomínios e pela sensação de proximidade com a natureza, a fachada e o interior dos prédios hoje contam com projetos de área verde que purificam o ar e deixam as áreas mais bonitas. 

Além disso, para promover a qualidade de vida dos moradores, as construtoras têm investido em varandas, janelas amplas e cômodos integrados que possibilitem a entrada de luz natural, principalmente pela manhã. Tal medida torna o ambiente mais saudável e, assim como a energia solar, também contribui para serem utilizados os recursos naturais do planeta. 

No mesmo sentido da economia de água, a reutilização da água da chuva tem sido outro critério para consumidores mais exigentes: com essa medida, é possível realizar a higiene dos espaços comuns sem precisar gastar litros d’água. Mas não só nos apartamentos e casas, os condomínios também estão seguindo algumas tendências. Mas, pensando em condomínios, quais são as novidades?

5. Quais as tendências de espaços de condomínio?

É interessante saber o que há de inovação nas áreas comuns dos condomínios, pois trazem benefícios pensados, não só nas comodidades e preferências dos consumidores atuais, mas também o que podemos esperar para um futuro próximo.

 

Atualmente, as tendências nos espaços dos condomínios são: bicicletários, coworkings, lavanderias, pontos de recargas, hobby box e espaço pet.

 

Bicicletários

 

 

Pensando nos bicicletários, a bicicleta é cada vez mais comum o uso de meios de transporte para pequenas distâncias. Então, com o aumento de moradores tendo esse modal, os espaços se tornaram essenciais nos condomínios. Um grande diferencial são aqueles espaços que contam com pontos de recarga para bicicletas elétricas. 

 

Coworkings

 

 

O coworking em condomínio ganhou bastante notoriedade nos últimos anos. Basicamente, ele é um escritório compartilhado entre os condôminos e a grande vantagem é que, na maioria das vezes, ele conta com uma excelente estrutura, com mesas, cadeiras, salas de trabalho e de reunião, além de uma ótima internet. 

 

Lavanderias

 

 

Apesar de bastante pautada na sustentabilidade, ter lavanderia no condomínio não é a única razão. Ela é bastante econômica e otimiza inúmeros recursos para os moradores. Além disso, permite que os apartamentos tenham um espaço extra, pois a lavanderia não  ocupará um ambiente do imóvel. 

 

Pontos de recarga

 

 

Com o uso de carros elétricos em crescimento, a necessidade de pontos de recarga dos condôminos. Alguns locais já contam com sistemas de cobrança pelo uso de recarga, como, por exemplo, aplicativos ou cartões, que entram na taxa de condomínio no final do mês. 

 

Espaço Pet

 

 

Como o próprio nome diz, é um local dedicado aos animais de estimação dos moradores. Há algumas variações no conceito, como o jardim, espaço para caminhada, para brincadeiras, treinamentos e higiene dos pets.

6. O que há de transformação digital nas tendências do mercado imobiliário?

Nos últimos anos, a transformação digital chamou a atenção do mercado imobiliário e o segmento vem se tornando cada vez mais digital, como, por exemplo, a compra de um imóvel sem visita presencial. Outro detalhe, são as possibilidades de expansão e transformação do setor como um todo, como o investimento em marketplaces imobiliários e no ecossistema de compra e venda de imóveis, com parceria e ferramentas que facilitam as transações.

 

Recentemente, não param de aparecer grandes exemplos de construtoras e empresas do ramo imobiliário que fazem sucesso. A MAC, atualmente, conta com tour virtual da maquete e dos apartamentos decorados, treinamentos e equipamentos para equipe de consultores para agendamos e atendimentos online. Além disso, também usa assinatura digital das promessas de compra e venda, contratos de corretagem e personalização. 

 

O atual cenário pode até gerar certo alerta, mas ainda existem motivos para considerar o mercado imobiliário e suas tendências positivas neste ano.

Depois de um longo período de recessão, de 2014 a 2018, o setor teve uma retomada importante em 2019. Neste ano, as atividades imobiliárias cresceram 2,3%, segundo o IBGE. 

A baixa da Selic e o acesso ao crédito fizeram com que 2020 também fosse positivo. Apesar da pandemia, a venda de imóveis novos cresceu 8,4% no período, de acordo com uma entrevista do presidente da Cbic.

Já em 2021, a inflação fechou em 10,06%, como apontam dados compilados pelo Copom, que ainda destaca que isso levou o Banco Central a elevar a taxa básica de juros. Dessa forma, a Selic teve seu oitavo aumento consecutivo em 2022. Em fevereiro, ela atingiu 10,75%.

Para começar, os juros de financiamentos imobiliários ainda estão entre os mais baratos. Dados da Exame Invest apontam que sua média é de 9,33%.

O número não é tão bom quanto os 7% do ano anterior, mas o potencial de valorização de novos imóveis pode compensar os valores de empréstimo. Isso porque, as taxas seguem em apenas um dígito.

Inclusive, não faltarão financiamentos vantajosos para quem deseja adquirir ou construir um imóvel. A Caixa prevê um aumento de 10% nos empréstimos imobiliários em 2022. Até o final do ano, as concessões devem superar a casa dos R$ 150 bilhões, mantendo o mercado aquecido.

 

Compartilhe:

Você também pode gostar